jusbrasil.com.br
25 de Agosto de 2019

Qualidades Necessárias ao Advogado Corporativo

Divagação sobre: o que se pode aprender através da série Suits.

Bruno Avila Valério, Advogado
Publicado por Bruno Avila Valério
ano passado

Já li muitos textos a respeito da série Suits, mas nunca pensei que teria algo a escrever sobre o tema. Em verdade, pensei em escrever algo que refletisse aquilo que eu trouxe para minha carreira depois de observar a conduta dos advogados principais da série, principalmente o Sr. Harvey Specter.

Algumas coisas fundamentais são necessárias e podem passar despercebidas. É claro que a ficção nos leva a objetivar ter a vida de luxo, de privilégios e de fama, como tem o super advogado protagonista. Entretanto, poucos refletem sobre as atitudes que o levaram ao ponto que observamos.

Harvey não é nada além da união das virtudes mais elevadas que os Advogados devem ter: a) foco e proximidade com o cliente e os seus interesses (é fundamental conhecer o cliente e seus pensamentos, defendemos o interesse deles em campos que talvez nem eles saibam que existem); b) transparência (a omissão faz oportunidades não aproveitadas); c) coragem e resiliência; d) capacidade de forjar uma cultura corporativa de fundamento; e) política; f) empatia; g) ambição e sede por negócios lucrativos (se o cliente ganha, você também ganha – em alguns negócios, você é o 1% a menos de risco, você é o 1% decisivo); h) apresentação pessoal impecável (imagem vende poder, quer você queira, quer não), comunicação impecável e claramente objetiva, grande nível de inteligência e conhecimento.

Todas essas qualidades pertencem a um grupo muito maior, contudo, ao que toca o julgamento particular deste autor, a qualidade mais importante é a imensa capacidade de encontrar soluções. Nós advogados coorporativos, vivemos para encontrar soluções criativas, principalmente quando estamos diante das mais complexas situações.

Quando o advogado possui a capacidade de encontrar saída – algo que os advogados da série fazem com alto nível de lapidação – e ao mesmo tempo, conhece aquele que lhe contratou intrinsecamente, não há chances de ser considerado menos do que fundamental para o crescimento exponencial dos negócios do cliente.

Outro ponto que é muito interessante é o ensinamento de que você deve conhecer o mundo em que você atua. Conhecer seus concorrentes, conhecer os clientes dos seus concorrentes, saber tudo sobre as pessoas influentes do seu mercado alvo, e saber fazer todos estes – quando possível – dever-lhes favores. Está regra é fundamental e apenas os gigantes a conhecem bem. Quem atua nos interesses de determinada gigante do setor do varejo, deve conhecer afundo, inclusive, os grandes investidores do setor.

Enfim, este texto é apenas uma mera divagação sobre alguns pontos relevantes que percebi nos personagens da série Suits. Estes pontos devem ser observados por nós advogados para que possamos nos aproximar da mentalidade atual do nosso mercado nos países de primeiro mundo. Nós temos condições, basta entender como as coisas funcionam e jogar o jogo da forma correta.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Excelente artigo. continuar lendo